quinta-feira, 27 de março de 2014

ORIENTAÇÃO SEXUAL: DA OPÇÃO OU DA CONDIÇÃO?

                 Para começo de conversa, do significado das palavras:

-OPÇÃO, podemos definir, talvez, como: Faculdade, ação de optar, de escolher entre duas ou várias coisas.

-CONDIÇÃO, podemos definir, talvez, como: Exigência, estado em que alguém se encontra sem possibilidade de barganha ou de escolha.

            Assim, entender, por exemplo, a HOMOSSEXUALIDADE como OPÇÃO, é puro equívoco, fruto da hipocrisia e da falta de leitura de mundo de muitos, inclusive daqueles que se dizem “letrados”, temos que ter claro, que é fator de CONDIÇÃO, ninguém escolhe ser isto ou aquilo em sua orientação sexual, nem muda quando lhe der na “telha”, simplesmente está condicionado e precisa de acolhimento para aceitar-se e entender seu “eu”.

Assim, discutir a sexualidade humana no campo da orientação sexual, diz respeito diretamente à atração, sensações que se sente por outros indivíduos e envolve questões sentimentais, de subjetividade, movimentos emocionais, contrariando o que muitos pensam, não está somente ligado ao sexo.

Acabando com o “mito intencional” não creio e tenho a certeza de que não ouviremos mais, seja em meios de comunicação que ainda se prestam para tal papel ou nas longas explanações  que nascem do universo dos “cultos e letrados” discursos sem leitura técnica, carregados de “achismos”, onde se vende, a população sem esclarecimento, absurdos se tratando da condição humana. 

Trabalho com leituras, bibliografia, pesquisa, estudos e penso que temos que ser cautelosos diante de opiniões arremessadas sem reflexão e quem sabe, carregadas de preconceito.