domingo, 29 de setembro de 2013

VOCÊ É... E NÃO ADIANTA FUGIR DE SUA TRILHA HISTÓRICA...

Vamos refletir sobre o que nos faz como seres humanos em nossa forma de agir diante do mundo. Somos muito mais de nossa trilha histórica do que imaginamos nossa forma de olhar e entender as coisas que nos cercam se refletem em nossa conduta.


VOCÊ É...

Você é os brinquedos que brincou, as gírias que usava, você é os nervos a flor da pele no vestibular, os segredos que guardou, você é sua praia preferida, Garopaba, Maresias, Ipanema, você é o renascido depois do acidente que escapou, aquele amor atordoado que viveu, a conversa séria que teve um dia com seu pai, você é o que você lembra. 

Você é a saudade que sente da sua mãe, o sonho desfeito quase no altar, a infância que você recorda, a dor de não ter dado certo, de não ter falado na hora, você é aquilo que foi amputado no passado, a emoção de um trecho de livro, a cena de rua que lhe arrancou lágrimas, você é o que você chora. 

Você é o abraço inesperado, a força dada para o amigo que precisa, você é o pelo do braço que eriça, a sensibilidade que grita, o carinho que permuta, você é as palavras ditas para ajudar, os gritos destrancados da garganta, os pedaços que junta, você é o orgasmo, a gargalhada, o beijo, você é o que você desnuda. 

Você é a raiva de não ter alcançado, a impotência de não conseguir mudar, você é o desprezo pelo o que os outros mentem, o desapontamento com o governo, o ódio que tudo isso dá, você é aquele que rema, que cansado não desiste, você é a indignação com o lixo jogado do carro, a ardência da revolta, você é o que você queima. 

Você é aquilo que reinvidica, o que consegue gerar através da sua verdade e da sua luta, você é os direitos que tem, os deveres que se obriga, você é a estrada por onde corre atrás, serpenteia, atalha, busca, você é o que você pleiteia. 

Você não é só o que come e o que veste. Você é o que você requer, recruta, rabisca, traga, goza e lê. Você é o que ninguém vê.


domingo, 8 de setembro de 2013

A BELEZA DA INTELIGÊNCIA: DAS PESSOAS FASCINANTES!

É sabido que vivemos numa sociedade esculpida por uma concepção de beleza que perpassa por imaginários sociais já internalizados: mulheres e homens correndo pela possibilidade de transformarem seus corpos em esculturas, mesmo que suas cabeças estejam vazias, a busca é apenas pela forma e não pela essência. Quem de nós não conhece aquela pessoa que “bem apanhada” pelo estereótipo de beleza não consegue conversar por mais de dez minutos sobre algo trivial. Só verniz!  A beleza da inteligência de alguém traz tamanho encantamento que quem descobre este segredo passa a entender porque muitas vezes ficamos maravilhados com quão sábio podemos nos tornar se aprendermos a exercitarmos nossa capacidade pensante e estimularmos ainda mais nossos neurônios. Claro que as duas belezas, a da forma e a da essência num corpo só deve ser uma benção, mas se tratando de escolha, pare, pense, avalie, analise, as pessoas mais sábias que conheço são pessoas fascinantes. Entra aí o erótico do saber, pessoas com essência são pessoas que nos prendem, fazem com que descubramos valores que não imaginávamos ter, dialogam sobre ideias e nos encantam com suas brilhantes mentes. Na era do intangível, das discussões da essência sobre a forma talvez tenhamos que pensar que uma cabeça cheia de neurônios postos em pleno exercício sejam mais do que nunca a atração do momento para quem busca dar novo sentido as suas relações vinculares.