domingo, 8 de setembro de 2013

A BELEZA DA INTELIGÊNCIA: DAS PESSOAS FASCINANTES!

É sabido que vivemos numa sociedade esculpida por uma concepção de beleza que perpassa por imaginários sociais já internalizados: mulheres e homens correndo pela possibilidade de transformarem seus corpos em esculturas, mesmo que suas cabeças estejam vazias, a busca é apenas pela forma e não pela essência. Quem de nós não conhece aquela pessoa que “bem apanhada” pelo estereótipo de beleza não consegue conversar por mais de dez minutos sobre algo trivial. Só verniz!  A beleza da inteligência de alguém traz tamanho encantamento que quem descobre este segredo passa a entender porque muitas vezes ficamos maravilhados com quão sábio podemos nos tornar se aprendermos a exercitarmos nossa capacidade pensante e estimularmos ainda mais nossos neurônios. Claro que as duas belezas, a da forma e a da essência num corpo só deve ser uma benção, mas se tratando de escolha, pare, pense, avalie, analise, as pessoas mais sábias que conheço são pessoas fascinantes. Entra aí o erótico do saber, pessoas com essência são pessoas que nos prendem, fazem com que descubramos valores que não imaginávamos ter, dialogam sobre ideias e nos encantam com suas brilhantes mentes. Na era do intangível, das discussões da essência sobre a forma talvez tenhamos que pensar que uma cabeça cheia de neurônios postos em pleno exercício sejam mais do que nunca a atração do momento para quem busca dar novo sentido as suas relações vinculares.