domingo, 25 de novembro de 2012

O PRECONCEITO NO ARMÁRIO!



Ofereço para reflexão recortes do texto da colunista da Época a fantástica Ruth de Aquino, para que entendamos o quanto negamos o semelhante porque talvez não esteja formatado nos “caixotes sociais” de que tanto tenho falado: 


“Ele está ali no meio das roupas que vestimos a cada dia. Invisível, sem cheiro. É como se fosse uma caspa que só os outros enxergam. O preconceito fica guardado nas gavetas das coisas ditas e ouvidas, em casa, na escola, no trabalho. Escondemos, por vergonha. Ou, o que é pior, nos recusamos a reconhecer que ele existe. Até o momento em que o preconceito sai do armário de forma irracional (...). Os gays sofrem mais, ainda registra a colunista (...). Em 1978, o deputado Harvey Milk foi morto por defender os homossexuais. Dez anos antes, em 1968, o Nobel da Paz Martin Luther King foi morto por defender os negros. Há quase um século, em 1913, a inglesa Emily Wilding Davison morreu ao defender o voto das mulheres. O mundo mudou, felizmente. Mas não o bastante.”




PONDERANDO:    


Vejam só, a colunista registra que o preconceito em suas múltiplas formas está no armário, pronto para “pular” para fora, as vezes até pendurado numa roupa qualquer , pensem comigo:  vocês pensam meus amigos e amigas, leitores e leitoras deste singelo blog que o excluído tem direito de escolher seu emprego, seu espaço de convívio social, tudo “balela” estes, ou até mesmo um de nós somos marcados com ferro em brasa sujeitados ao preconceito do armário, oportunidades poucas, escassas e discursos sempre regados de uma “caridade maldosa”, possibilidades mesmo, privilégio dos mais influentes, situação que lamento, pois as instituições que não abrirem suas portas para a diversidade humana não chegarão a prosperar com seus sinais de  moralismo arcaico e excludente, observem a volta, reflitam, o cerco está se fechando para aqueles que acham que podem controlar os mecanismos de poder com o chicote da hipocrisia.
 

domingo, 18 de novembro de 2012

AS POSSIBILIDADES PARA OS DIFERENTES...OS ECOS DA OPRESSÃO!




Reflexões:

Fico pensando no quando avançamos no campo da Ciência, mas o quanto permanecemos imaturos no campo da Subjetividade: Fomos paridos numa sociedade que, de maneira às vezes implacável, condiciona a decreto de morte tudo aquilo que por ela não é aceito, compreendido. Mas a sociedade não é perfilada por nós, seres humanos, mediante nossas concentrações na revelação de nossas condutas? Isto mesmo! É fato então que o desejo de “enfiar” as pessoas em “caixotes sociais” quando estas não estão nos “moldes” do que é “dito” como normal ou ainda convencional se revela no que chamamos de exclusão sofisticada a qual manifesta a marginalização. E para aqueles que na hipocrisia pensam que estão cortinadas estas posturas segregadoras meu alerta: Todos aqueles que se mantendo no poder esmagam a identidade dos semelhantes, fazendo-os oprimidos, pela Lei Universal Do Retorno tendem a naufragar na própria manifestação maldosa que construíram em suas trajetórias. Negar a legitimidade do outro, sua condição de existir é pautar para si mesmo a condenação pela simples pobreza de conhecimento. 

UMA BOA LEITURA, REFLEXÕES DE PEDRO DEMO:  

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

ORIENTAÇÃO PSICOPEDAGÓGICA: UM VALIOSO APOIO TÉCNICO!






Prezados (as) amigos (as)!

Ao longo destes anos tenho estudado a Ciência da Psicopedagogia Clínica e tenho percebido a necessidade cada vez mais presente de orientação psicopedagógica junto às famílias no sentido de auxiliar no ordenamento de rotinas disciplinares e ainda, um espaço de escuta psicopedagógica para adultos.

Agora você já pode contar com este suporte técnico!


Rodrigo Dalosto Smolareck
Psicopedagogo Clínico, Institucional e Empresarial

                                                    

domingo, 11 de novembro de 2012

UMA ESTRADA DE TIJOLOS AMARELOS...





O Maravilhoso Mágico de Oz é um conto infantil escrito por L. Frank Baum. A fantástica aventura traz a pequena Dorothy, menina que morava no Kansas sendo levada por um tufão pelos ares, que termina por arremessá-la numa distante e desconhecida terra. O restante da história voe já conhece. Eu particularmente gostaria de falar da:

ESTRADA DOS TIJOLOS AMARELOS:

Ansiando por voltar para casa, a menina recebe dos habitantes do estranho lugar a orientação de que deveria procurar a ajuda do Feiticeiro de Oz na Cidade Esmeralda. O caminho era o mais fácil - bastava seguir a longa estrada de tijolos amarelos, que cortava o país.

Fonte de suporte: Wikipédia. 



PONDERANDO: Vejam meus caros e minhas caras o que está escrito no item “Estrada de Tijolos Amarelos”, diz que a menina ansiando voltar para casa deveria seguir a longa estrada de tijolos amarelos que cortava o país. Fazendo algumas reflexões penso que nós também, assim como Dorothy procuramos uma estrada de tijolos amarelos que nos leve para nossos objetivos, que direcione nossos passos para nossas metas, que nos permita sermos mais assertivos no caminho rumo aos nossos planos pessoais e profissionais, e mais, queremos apenas seguir nosso caminho nesta “fantástica estrada”, todavia sabemos que as bruxas aparecerão, sabemos também que nada é na realidade muito mágico, mas na mesma medida estamos convictos de nosso poder em travar lutas com essas adversidades: se for uma bruxa, ou talvez, mais de uma, que se revelem, lutaremos bravamente, mas nada de trapaças, se for um mágico que não entende muito de mágicas, poções e feitiçarias também não tem problema, faremos nossas próprias cruzadas cabalísticas, o que é fato: não nos atrapalhem em nossas jornadas na estrada de tijolos amarelos, ou pior, não tentem nos empurrar para fora dela, porque assim como Dorothy podemos ter em nossos pés um poderoso sapatinho de rubi que de tudo nos protege e para tudo nos fortalece.

ARTIGO: APONTAMENTOS TÉCNICOS SOBRE O MARKETING REGIONAL

Alunos (as) do Curso Técnico em Administração¹

Prof. Esp. Rodrigo Dalosto Smolareck²

O projeto intitulado “Entendendo o Marketing com os múltiplos olhares da Comunidade Regional!” oriundo da disciplina de Noções de Marketing realizada pelos alunos do Curso Técnico em Administração (TA 02) do Sistema Educacional Galileu, da Escola de Educação Profissional Caio Fernando Abreu-Santiago, aconteceu nos meses de Outubro e Novembro do corrente ano, nos municípios de São Francisco de Assis, Nova Esperança do Sul, Unistalda, Itacurubi e Santiago atentando para a abrangência da atuação profissional dos alunos cujo objetivo permeou a ideia de se investigar os ordenamentos dos sistemas de marketing mantidos pelas instituições que após aceite oficial foram sorteadas aleatoriamente para a realização de entrevista semi-estruturada, o que consolidou apontamentos significativos sobre o perfilamento das estratégias de marketing postadas nas organizações que se firmam nos referidos municípios, (GIL, 2010).  Assim, entende-se que os sistemas de marketing são constituídos a partir de escuta técnica dos processos externos e internos que dão sustentação a dinâmica da instituição atentando para as exigências sociais que se ancoram nas transformações circulares do mundo do trabalho (KOTLER, 2000) considerando-se o que segue: as instituições em todos os campos de atuação possuem significativa estrutura de gestão e os desdobramentos organizacionais buscam a eficiência dos serviços ofertados, o que se percebe é a importância que algumas destas postam ao seu sistema de marketing mantendo ferramentas estratégicas já utilizadas e implementando este processo com novas possibilidades focadas nas necessidades apresentadas pelo tempo social no qual estão inseridas. Entendemos que o marketing firma a identidade institucional dando diretrizes para a efetivação de metodologias organizacionais que envolvem a natureza essencial dos produtos e serviços, desta forma, vimos que a pesquisa de campo mostrou o quanto às instituições que passaram pelas entrevistas buscam apurar e ainda aprimorar seu sistema de marketing na intenção de fortalecer as práticas institucionais agregando o valor social aos produtos e serviços ofertados, o que revela grande poder de visão na gestão estratégica. O cenário atual requer das organizações a articulação estratégica de um sistema de marketing que, coordenado pela gestão institucional se desdobre em ações articuladas com o próprio planejamento estratégico o que dará sustentação para novas possibilidades de ordenamento das rotinas institucionais ajudando a organizar os planos de trabalho dos colaboradores e ainda constituindo uma relação mais identitária e vincular entre os todos os atores que fazem parte das redes organizacionais em suas singulares características. Fica claro assim, o quanto as instituições envolvidas na pesquisa estão prósperas e buscam constantemente novas possibilidades de fortalecer a identidade organizacional o que consolida sua estratégias de mercado aproximando assim seus serviços das exigências sociais. 




¹ Alunos (as) do Curso Técnico em Administração ( TA 02) do Sistema Educacional Galileu- Santiago, da Escola de Educação Profissional Caio Fernando Abreu.

² Professor especialista do Curso Técnico em Administração, da disciplina: Noções de Marketing do SEG- Santiago e coordenador do Projeto: “Entendendo o Marketing com os múltiplos olhares da Comunidade Regional!”Contato: pedagogords@r7.com
 

 





quinta-feira, 1 de novembro de 2012

APRENDENDO COM OS CAIXOTES!




Diz um antigo provérbio: “A beleza de um jardim está justamente na variedade das formas e cores das flores” o que concordo de maneira pontual. Agora vamos contextualizar o provérbio pensando nas relações que estabelecemos com pessoas que em suas múltiplas diversidades são “enfiadas” em caixotes sociais ou pior, marginalizadas por um grupo que pensa não possuir diferenças humanas, pois é ridículo firmarmos que não somos legitimamente diferentes uns dos outros, e aí imaginem, é mais fácil negar a estada do outro em nossos convívios postando de maneira feia e imatura um discurso de encaixe, como se o outro não houvesse desejado enfiar-se no quadrado do que aceitá-lo em sua condição humana respeitando a história de vida que traz consigo.
E por falar em caixotes, que tal pensarmos mais uma vez nos caixotes sociais: isto mesmo, todo e qualquer sujeito que pensar demais em espaços de alienação também é considerado perigoso e de imediato e trancafiado num bonito e sofisticado caixote, o caixote do silêncio, da hipocrisia, dos pactos de poder e pior da mais pura falta de ética: gosto muito de observar esses movimentos, pessoas que vivem de pose sempre com um caixote em mãos para meter qualquer pensador que questione algo, dentro dele.
O que é fato, de verdade: é chegada à hora de ficarmos sentinelas aqueles que nos chegam com essa peça nas mãos porque o resto da história você já conhece.


Eu creio num processo de humanização para além dos caixotes e celebrativo a justiça social!