segunda-feira, 24 de março de 2014

A FASCINANTE LARANJEIRA: Da beleza essencial, A INTELIGÊNCIA!

Certo dia, a sombra de uma fascinante laranjeira, fascinante porque me rendi ao fascínio de sua sombra, do vento que dançava pelos seus galhos e permitia criar uma atmosfera convidativa para ali ficar, sentei-me com um bloco repleto de folhas esperando a escrita e de lápis “em punho” dediquei-me a escrever retalhos sobre o que pensava sobre a inteligência, e assim o fiz, minhas anotações, algumas. Depois de muito anotar, de escrever de novo, de riscar e de trocar palavras eis que “engravidei” meu pensamento e pari a seguinte reflexão: A INTELIGÊNCIA é condição essencial para o convívio próspero e interessante entre as pessoas, sem ela não a muito que falar a não ser o óbvio, sem ela não conseguimos ser criativos em nossas relações, não nos tornamos interessantes por muito tempo, ficamos sem o diálogo que nos deixa especiais, enfim urge exercitá-la, que cuidemos do corpo tudo bem, agora que exercitemos a capacidade inventiva de nossos pensamentos é algo que não podemos negar.

Fica claro então, que neste momento, começamos a despertar para uma nova ideia de beleza, já não ficamos só com as imagens esculturais, mas passamos a entender do fascínio da inteligência, claro que não somos hipócritas, existem fileiras de pessoas que ainda não compreendem este segredo, agora aqueles que já o descobriram estão correndo atrás do prejuízo, buscando a laranjeira, o fascínio de sua sombra, e quem sabe descobrindo e assumindo a beleza essencial: A DA INTELIGÊNCIA!