quinta-feira, 20 de setembro de 2012

DAS MANIPULAÇÕES: UM OLHAR SOCIOLÓGICO!




Fantástico texto de autoria de Daniel Paiva revela algumas caracterizações da dinâmica social no que se refere à tomada de consciência e o fenômeno da alienação, me proponho aqui a trazer recortes de suas categóricas abordagens.


ESCREVE:

(...) Reconhecer a importância da consciência, ou seja, de ser uma pessoa consciente de sua situação, é também, distinguir e valorizar seu papel e ação dentro de algum grupo social (...)
Quando o caminho se dá de maneira inversa, ou seja, quando não ocorre o ‘pensar’ sobre a ‘ação’, e quando se dão respostas prontas e não há qualquer tipo de reflexão sobre as mesmas, então podemos dizer que este é um indivíduo que está alienado. É um sujeito que não está exercendo suas capacidades críticas e de confronto com alguma ideologia. Desse modo instala-se, a não-ação, e sim a reprodução de ações e ideias que não acarretam mudanças (...) além de não provocar a capacidade reflexiva (antes e depois), segue cegamente as normas da ideologia dominante, ocorre então à persistência da alienação.  Uma das maneiras de se analisar (pesquisar) indivíduos conscientes – alienados, é essencialmente pelo seu discurso, pois este referenciará através da linguagem a representação do mundo em que vive seguido de suas significações e simbolizações subjetivas que o tornam parte de um contexto histórico-social (...).


Refletindo a partir das ponderações do autor fica evidente que muitas vezes por temer o dominante, aquele que oprime, ficamos paralisados diante do processo de mudança, assistindo e fazendo parte de um percurso que nos torna meros espectadores de nossa própria história.
Observem em nossa sociedade, a sua volta caro leitor o que as pessoas são capazes de fazer para se manterem no poder: barganhas, esmagamento de valores, paparicos ridículos, negociatas, e sabe se lá o que mais, por isso lembremo-nos: “Dizer a verdade pode custar caro, mas a dignidade de caráter não tem preço!”